Deficiência de selénio tem sido reconhecida como um gatilho ambiental para a tiroidite de Hashimoto, assim como na D. Graves (outra doença autoimune da tiroide) pode existir falta de selénio.
O excesso de iodo em ambas as condições autoimunes, Tiroidite de Hashimoto e D. de Graves pode ser prejudicial pelo aumento de peroxido de hidrogénio (radical livre) que resulta da transformação do iodo proveniente da dieta na sua forma biodisponível na tiroide.
Numa situação de bócio o iodo pode ser necessário em quantidades ajustadas a cada indivíduo e condição, mas sempre vigiando através de análises clínicas.
Numa situação de Hipotiroidismo derivada de uma Tiroidite de Hashimoto, com a presença de anticorpos anti TPO e anti TG, o consumo de iodo e consequente formação de peróxido de hidrogénio pode aumentar ainda mais a formação de anticorpos e a tiroide auto destruir-se se não equilibrarmos os micronutrientes.
Isto já não acontece da mesma forma, na presença de quantidades ideiais de Selénio, que é dos minerais fulcrais na função tiroideia, para além de outras funções o selénio faz parte das selenoproteinas da tiroide que promovem a diminuição do peróxido de hidrogénio resultante da absorção do iodo, revertendo os efeitos negativcos do mesmo.
Conclusão deve-se:
-> Evitar aumentar ingestão de iodo através da alimentação ou suplementação na presença de doenças autoimunes na tiroide.

 

-> Solicitar e analisar com o seu médico Endocrinologista ou de Medicina Integrativa ou Funcional os valores de Selénio e Iodo, assim como outros parâmetros importantes par um bom funcionamento da tiroide.
-> Suplementar Selénio de boa qualidade e biodisponibilidade como https://www.pharmanord.pt/produtos/details/bio-selenio, nas doenças autoimunes da tiroide sempre que necessário com acompanhamento médico e do seu nutricionista.

 

-> Ingestão alimentar de selénio, exº castanhas do pará (mas as doses variam muito de região em região e excesso também pode ser prejudicial, nestes casos e perante avaliação do selénio no sangue o mais seguro é suplementar).
-> Excesso de Iodo, com baixos níveis de Selénio na Tiroidite de Hashimoto pode levar a destruição da tiroide pelo aumento de peroxido de hidrogénio.
Uma dose de 200 microgramas por dia foi considerada eficaz para reduzir os anticorpos anti-Tiroperoxidase (TPO) em cerca de 50% em 3 meses.

 

Benefícios do selénio:

• Menos ansiedade
• Melhor conversão de T4 para T3
• Menos anticorpos anti tiroideus
• Mais energia
• Menos perda de cabelo
• Menos palpitações

 

A maioria das vitaminas multi e pré-natal já contém na sua composição 150-250 mcg, nestes casos de gestantes é importante avaliar o status de selénio, uma vez que as necessidades de iodo aumentam e é comum aparecer algumas tiroidites durante ou após o parto.
O Iodo é o elemento fundamental para a síntese das hormonas da tiroide. Quando em níveis insuficientes ou excessivos pode alterar a função da tiroide, comprometendo a sua síntese hormonal.

IODO SEM SELÉNIO É PREJUDICIAL

IDEAL IODO DENTRO DOS VALORES ÓTIMOS COM PRESENÇA DE SELÉNIO, EM ALGUNS CASOS, COMO NA TIROIDITE DE HASHIMOTO

 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *