Dieta low carb ou low fat? Faz diferença?

Esta é uma pergunta muito comum e que causa muitas controvérsias entre profissionais de nutrição e, mais ainda, entre a população de forma geral.

Pesquisadores investigaram e publicaram na revista JAMA, onde compararam e avaliaram se existia associação entre as dietas com poucos hidratos de carbono e as dietas com pouca gordura com a mortalidade total e por causas específicas em adultos (20 anos ou mais) nos EUA.

Os dados da alimentação foram obtidos por meio de recordatório alimentar e divididos em categorias de consumo, a partir de pontuações de dietas baixas em hidratos de carbono e baixas em gordura, saudáveis e não saudáveis, baseados no percentual de energia. No total, 37.233 adultos foram incluídos na análise e os dados de mortalidade foram obtidos da própria pesquisa.

No final da pesquisa, os autores concluem que não há diferença em consumir uma dieta com poucos hidratos de carbono e uma dieta com pouca gordura, ambas não se associaram à mortalidade total.

O que fez de fato diferença, foi a qualidade dos nutrientes ingeridos: dieta com pouca quantidade de hidratos de carbono e gordura, não saudável, foram associadas a maior mortalidade total, enquanto a dieta saudável com poucos hidratos de carbono (menores quantidades de hidratos de carbono de baixa qualidade e maiores quantidades de proteínas vegetais e gorduras insaturadas) e uma dieta saudável com baixa quantidade de gordura (menores quantidades de gordura saturada e maiores quantidades de hidratos de carbono e proteínas vegetais de alta qualidade) foram associadas a menor mortalidade total.

Em resumo, o estudo aponta que se fores consumir hidratos de carbono que contenham cereais e grãos integrais,  as gorduras preferires as melhores opções: as insaturadas, que são aquelas provenientes de melhores fontes alimentares, como o atum, a sardinha (excelente opção para nós, brasileiros), as de óleos vegetais, como o azeite. As oleaginosas, como as castanhas.

Já para as proteínas, as melhores opções são as de origem vegetal (desde que completas), pois contém mais fibras e, compostos bioativos, como os fitoquímicos, que também estão envolvidos com a prevenção de doenças crónicas, sobretudo as doenças cardiovasculares.

Shan, Z.; Guo, Y.; Hu, F. B.; Liu, L.; Qi, Q. Association of Low-Carbohydrate and Low-Fat Diets With Mortality Among US Adults [published online ahead of print, 2020 Jan 21]. JAMA Intern Med. 2020.