Cuidado com o consumo de certos alimentos

As frutas e as verduras são parte fundamental de uma dieta saudável e balanceada. Contudo, entre as frutas e verduras, também, encontram -se algumas substâncias potencialmente prejudiciais à saúde,  substâncias tóxicas.

Estes compostos ou toxinas que, em quantidades substanciais, podem causar efeitos adversos.

As razões destes alimentos terem toxinas nem sempre são conhecidas. Às vezes pode ser de um pesticida para evitar o ataque de insetos ou ser uma forma de a planta se proteger de alterações do clima, como a luz do sol ou micróbios.

“É a dose que faz o veneno”, disse o cientista Ed Blonz, em um artigo publicado no site da organização American Cancer Society.

Partilho aqui alguns alimentos que podem ter estas toxinas, se esta informação foi útil partilha e vem aprender muito mais no nosso Clube LifeStyle Nutrição Funcional & Consciente. INSCREVE-TE AQUI

👉🏻 https://nutricao-funcional-integrativa.pt/clube/?fbclid=IwAR2LbQloc7o0UhBPWxTA3yZ4SU6XT01r4HB81i91dNpNU__gP2a-8qD50GQ

Mesmo assim, as autoridades de saúde em vários países recomendam precaução com os alimentos que têm as seguintes substâncias tóxicas:

  • Glicosídeos cianogénicos

Existem na fruta ou alimentos, que, quando saborear e morder a semente até que ela se quebre, revela uma polpa amarga, com sabor amendoado. Exemplo cianeto no caroço da maçã. Pode ser encontrado nas sementes de maçãs e no interior carnoso das sementes de ameixas, pêssegos, cerejas, entre outros. Os sintomas de uma intoxicação por esta substância incluem confusão, vertigem, dor de cabeça e vómitos.

  • Glicoalcaloides (solenaceas)

A batata assada, frita ou em forma de purê é um grande acompanhamento para qualquer prato. A batata tem glicoalcaloides – especificamente, a solanina. É uma toxina natural que atua como pesticida ou fungicida; uma defesa contra animais, insetos e fungos que possam atacá-las.

Os glicoalcaloides também estão presentes em berinjelas e tomates verdes, apesar de em menor concentração.

A solanina é muito venenosa em grandes doses. Pode causar desde sintomas gastrointestinais até alucinações, paralisia e até a morte. Se a batata está verde abaixo da casca, recomenda-se que não seja consumida

  • Lectinas

Para as pessoas que não consomem proteína animal, feijões e outras leguminosas são uma grande alternativa para complementar uma dieta saudável. Os feijões, lentilhas, grãos-de-bico, ervilhas, amendoins, soja e seus derivados proporcionam uma boa quantidade de proteína, são ricos em fibra e produzem uma sensação de satisfação.

Além disso são fonte constante de glicose, que dá energia, têm alto conteúdo de ferro, ácido fólico, magnésio, manganês e antioxidantes.

Porém, elas também têm lectinas, que não são processadas pelo sistema digestivo humano.

Algumas pessoas desenvolvem intolerância a estas leguminosas e têm uma sensação de inchaço e dor no estômago quando as consomem. As lectinas estão envolvidas no síndrome do intestino irritável, que se manifesta com obstipação, vômito, diarreia e inchaço.

  • Nitratos

Sempre se recomenda comer verduras e hortaliças frescas, pois são ricas em nutrientes que podem ajudar a prevenir diversas doenças.

As verduras também têm nitratos, que vêm da água utilizada na irrigação e dos fertilizantes usados no cultivo. Entre as que têm alto nível de nitrato estão a alface, beterraba, cenoura, espinafre, salsa, repolho, rabanetes, aipo e couve.

  • Cumarina

A canela é uma das especiarias mais importantes do mundo para condimentar alimentos e bebidas, mas tem variedades distintas: a canela do Ceilão, cultivada no Sri Lanka, Madagascar e nas ilhas Seicheles, é conhecida como “canela verdadeira”.

  • Açúcar
  • Farinhas refinadas, trigo
  • Alimentos ultraprocessados