As toxinas que inflamam o nosso Corpo e Tiroide

Atualmente, estamos rodeados de toxinas que inflamam o nosso corpo. Estas, por acumulação no nosso corpo, podem causar diversas doenças, como casos de disfunções da tiroide.

Muitos dos sintomas e sinais conhecidos dos desiquilíbrios da tiroide podem ter causas diversas, no entanto, precisamos considerar também, as causas derivadas das toxinas ambientais que são prejudiciais à nossa saúde.

A tiroide é uma glândula que secreta hormonas fundamentais à nossa saúde e sobrevivência, maioritariamente, uma pro-hormona (hormona inactiva), a T4. E esta tem de ser convertida em T3 (hormona activa).

Contudo, muitas vezes as pessoas apresentam sintomas e sinais de: fadiga matinal ou ao longo do dia, tendência depressiva, cara e olhos inchados, alterações de temperatura e sintomas de frio, pouca tolerância (mãos e pés frios, cianose, arrepios), dores de cabeça, obstipação ou dores reumáticas (entre outros, a lista é grande) e nas análises clínicas estar “bem”.

O que não significa, por exemplo, que não tenhamos um hipotiroidismo secundário.

Além de avaliarmos a nível nutricional e equilibrarmos a dieta e/ou suplementação quando necessário para a produção de hormonas tiroideias, como:  ferro, iodo, tirosina, zinco, selénio, vitaminas A, vitaminas do complexo B, C e D.

Há outros factores que inibem esta produção adequeada de hormonas da tiroide, como infeções, obesidade, disfunção renal e hepática, as dietas muito restritivas, trauma físico ou emocional e as toxinas ambientais que podem ser várias:

  • Radiação
  • Medicações (lítio)
  • Pesticidas e Herbicidas
  • Substâncias xenobióticas: moléculas não naturais produzidas pelo homem (xenobióticos), como os bifenilos policlorados (PCBs), o bisfenol A (BPA) nos plásticos, e o ácido perfluorooctanóico (PFOA) – usado em revestimentos antiaderentes de panelas e impermeabilizantes de tecidos – comprometem a função tireoidiana
  • Fluor
  • Metais tóxicos: mercúrio, alumínio, cádmio, arsênico e chumbo são encontrados na poluição ambiental, nos frutos do mar e amálgamas dentárias.
  • Glúten: sensibilidade ao glúten é frequente e pode ser a causadora de disfunção da tiroide, por respostas autoimunes e aumento da permeabilidade intestinal.
  • Soja: estudos científicos vinculam a soja ao comprometimento da tiroide. Seus fitoestrogênios são potentes agentes que causam hipotiroidismo e até problemas mais graves da tiroide. Para crianças, o consumo de fórmulas de soja tem sido associado a doenças autoimunes da tiroide. Produtos não fermentados como carne de soja, leite de soja e queijo de soja não são aconselháveis. Prefira, pontualmente, os bilógicos como natto e missô que são saudáveis.
  • Bromato: um desregulador endócrino, pois compete pelos mesmos receptores usados na glândula tiroide para capturar iodo.
  • Stresse crónico compromete a glândula adrenal, gerando aumento do nível de adrenalina e cortisol e impactando a tiroide. Este desequilíbrio pode causar hiperglicemia, colesterol elevado, hipertensão, queda de cabelo, obesidade e cansaço.

Dá a tua opinião sobre esta notícia

This contact form is deactivated because you refused to accept Google reCaptcha service which is necessary to validate any messages sent by the form.