Disfunções da Tiróide – Sinais e Sintomas

Hoje vou falar-vos um pouco sobre os sinais e sintomas das possíveis disfunções da tiróide mais comuns como o Hipertiroidismo e Hipotiroidismo.

Sinais e sintomas clínicos associados ao hipotiroidismo

1. cansaço, fraqueza
2. pele seca
3. extremidades frias
4. sensibilidade ao frio
5. perda de cabelo
6. dificuldade de concentração e memória má
7. obstipação
8. ganho de peso
9. depressão
10. cefaleias
11. unhas fracas
12. baixo libido
13. aumento colesterol
14. alergias
15. dores inexplicáveis
16. agravamento de d. auto imunes
17. agravamento da apneia do sono
18. alteração renal e equilíbrio de fluidos
19. alteração da temperatura corporal basal

Sinais e sintomas clínicos associados ao hipertiroidismo

1. taquicardia
2. fadiga
3. perda de peso
4. tremor
5. dispneia
6. apatia
7. anorexia
8. nervosismo
9. reflexos hiperativos
10. fraqueza
11. depressão
12. suor excessivo
13. diarreia
14. atrofia muscular
15. confusão
16. intolerância ao calor

Quando falámos de alterações na tiróide devemos sempre olhar para o corpo como um todo: hormonas, nutrição, dados analíticos, estilo de vida e descanso/ sono.
Para evitar a sobrecarga de suplementos e de órgãos essenciais para a conversão de T4 em T3 como o fígado e o intestino, a primeira coisa que devemos fazer é ter um estilo de vida com menos stress ou praticar actividades que regulem os níveis de stress (cortisol) e, alimentar-se de forma natural sem aditivos, adoçantes químicos, fast food, açúcar, trigo, alimentos geneticamente modificados e gorduras hidrogenadas.

CERCA DE 60% DA CONVERSÃO T4 → T3 OCORRE NO FÍGADO E 20% NO INTESTINO PARA QUE ISSO OCORRA DE FORMA NATURAL É IMPORTANTE NUTRIR O NOSSO ORGANISMO DA MELHOR FORMA.

Quais os 10 nutrientes essenciais, de forma equilibrada através da alimentação ou suplementação, ao bom funcionamento da tiróide?

1. Selénio : A tiróide é o nosso órgão com o maior teor de selénio e é necessário para a produção de T3; pode reduzir problemas auto-imunes, bem como diminuir os níveis de anticorpos anti-tiroideus. Além da suplementação, os alimentos ricos incluem: carne bovina de pasto, fígado bovino de pasto, ovos biológicos, frango do campo, espinafres e castanha-do-brasil.

2. Vitaminas B: A tiamina e a vitamina B12 ajudam a equilibrar as hormonas tiroideias e ajudam no combate à fadiga crónica. Vegans e vegetarianos precisam de atenção especial a sua alimentação vs suplementação, pois são muito mais susceptíveis a serem deficientes nesses nutrientes essenciais. Fontes alimentares incluem: Fígado bovino de pasto, sardinha selvagem, carne de vaca de pasto, ovos biológicos, queijo, algas e salmão.

3. Probióticos : O equilíbrio saudável das bactérias intestinais é vital para um intestino saudável. As condições da tiróide têm sido relacionadas ao intestino permeável (quando proteínas como o glúten podem quebrar a barreira (zonulina) do intestino e entrar na corrente sanguínea, o que causa inflamação por todo o corpo, incluindo a tiróide). Se houver uma permeabilidade intestinal aumentada, disbiose ou SIBO (super crescimento bacteriano) deve-se aconselhar com o seu nutricionista e estabilizar primeiro o intestino, recuperando-o antes de iniciar qualquer suplementação. Alimentos ricos em probióticos incluem chucrute, kombucha, miso, kefir e natto, entre outros.

4. Iodo : A deficiência de iodo está frequentemente associada ao hipotiroidismo e, muitas vezes crescimento de nódulos quando também há défice em simultâneo de outros nutrientes essenciais. O iodo pode ser encontrado em alimentos, como: peixes, vegetais do mar, ovos biológicos, lacticínios crus e algas marinhas. Para 10% das pessoas, o iodo pode resolver a disfunção da tiróide, embora pessoas com Tiroidite de Hashimoto devam evitar uma dose mais alta de suplementação de iodo, mas o ideal é sempre solicitar análises e avaliar fazendo correlação de todos os dados.

5. Tirosina : Em um processo chamado iodação, iodo, tirosina e tiroglobulina se ligam para formar sua molécula T4.
A tirosina é encontrada em alimentos ricos em proteínas, como: frango do campo, peru biológico, amêndoas, abacate, carne biológica e ovos.

6. Zinco : O zinco é necessário para o T4 converter-se em T3 e também é necessário para o T3 funcionar corretamente. O zinco afeta muitas áreas de sua saúde, incluindo a digestão, a pele e os olhos, o sistema imunológico, o metabolismo dos ácidos gordos ómega-3 e a função da tiróide. O zinco é encontrado na carne vermelha de pasto, carne de porco de pasto, ostras e frango do campo; sendo um micronutriente importante avaliar também na alimentação Vegan e vegetariana.

7. Vitaminas lipossolúveis: Muitas vitaminas e nutrientes essenciais necessitam que a gordura seja adequadamente absorvida e usada pelo corpo. Por exemplo, altos níveis de cortisol estão associados a baixos níveis de vitamina D3, mas se está com uma dieta baixa em gordura, não vai estar absorvendo a vitamina D como poderia esperar pois ela precisa de uma gordura para ser absorvida. São essenciais fontes de gordura de qualidade, como: manteiga Ghee, abacate, azeite extra virgem a fim de obter todos os benefícios se suplementar a mesma. Contudo nunca suplemente sem recomendação de um Nutricionista ou Médico funcional pois tanto em défice como excesso as vitaminas podem causar problemas.

8. Vitamina C: A glândula supra-renal contém a maior concentração de vitamina C no corpo e, como sabemos, há correlação entre a função adrenal e a função da tiróide. Fontes de nutrientes ricos em Vitamina C: Batata doce, Kiwis, laranjas, Acerola, Camu-Camu (importante serem de origem biológica e mesmo assim, hoje, não garantimos que contenha vitamina C necessária pois é muito volátil e os solos em Portugal estão empobrecidos da mesma).

9. Ácidos gordos ómega-3: podem ajudar a “diminuir a inflamação e ajudar na imunidade” para o suporte da tiróide, assim como podem captar hormonas tiroideias.

10. Ferro: Existe uma correlação entre baixo valor de ferro e o baixo valor dos níveis de cortisol, e este é necessário, em concentrações adequadas, para converter e ativar T4 para T3.

Medicina convencional geralmente não avalia todos estes parâmetros no estudo da função tiroideia, muitas vezes apenas é solicitado o valor da TSH e da T4, o que como podem perceber agora é limitado para percebermos o que está a causar alterações no seu funcionamento.

A maioria das pessoas tem hipotireoidismo / Hashimoto, o que significa que há problemas subjacentes que afetam a conversão de T4-T3 na tiróide e as estratégias habituais de medicina não vão atacar a verdadeira raiz do problema e medicam normalmente com T4 (sem avaliar muitas vezes a conversão da mesma em T3 livre ou reversa) e as pessoas continuam a queixar-se dos mesmos sintomas!

Além destes nutrientes e micronutrientes que seleccionei e destaquei antes, como possíveis causadores das disfunções tiroideias, é importante solicitar as análises laboratoriais completas para fazer o estudo mais pormenorizado deste metabolismo e perceber se nutricionalmente consegue-se estabilizar este ciclo e evitar excesso de medicação.

Pois em alguns casos não seria necessário medicar para controlar os sintomas descritos em cima se estudarmos a causa do problema e nutrirmos e/ou suplementar o que for necessário individualmente em cada caso.

Dê a sua opinião sobre esta notícia

This contact form is deactivated because you refused to accept Google reCaptcha service which is necessary to validate any messages sent by the form.